18.12.13

O que se sabe da história


Ainda que alguns pretendam relacionar os ovos-moles à Princesa Santa Joana (infanta D. Joana filha de Afonso V) do que se sabe ao certo é que a receita tem origem conventual.
O Mosteiro de Jesus (actual Museu de Aveiro) recebia diversas rendas provenientes de impostos. Naquela altura, era habitual que o pagamento não fosse só em dinheiro, mas também em grandes quantidades de ovos e açúcar.
Numa época de intensa actividade religiosa a rivalidade entre conventos permitiu que novas e elaboradas receitas fossem surgindo.
As claras dos ovos, utilizadas para engomar as vestes religiosas e para a produção de hóstias, deram lugar a uma massa fina que serve para envolver o doce de ovos. 

O que se sabe da história é isto. É pouco... A imaginação popular acrescentou o que falta.
Segundo a lenda, num dado ano, a maior parte da comunidade residente no Convento adoeceu.  Depois de muitos cuidados prestados as melhoras não se faziam sentir. 
Uma noviça preocupada com a saúde das outras irmãs, decidiu ensaiar uma receita à base de açúcar e ovos.
Após sucessivas doses diárias da milagrosa receita as doentes recuperaram a olhos vistos.
A receita fez tal furor que os ovos-moles passaram a ser produzidos regularmente.

Fonte consultada: "A cidade dos Ovos-Moles" de Amaro Neves.

5.12.13

Edward Hopper

O Pintor norte-americano transpôs para a tela, de forma magnífica, o isolamento do ser humano na vida moderna.

Curiosamente, Hopper alia a solidão a cafés. 

Nighthawks -1942



  Automat - 1927
                          




Chop Suey - 1929




The Wine Shop - 1909

30.11.13

Quiosque da Ginginha do Carmo

Afinal é possível associar a tradicional "Ginginha" ao design moderno

Desde 2011 e, pela mão do empresário Jorge  Rosmaninho, a "Ginginha" adquiriu outra dimensão e juntou-se ao capilé, mazagrã, às queijadas de Sintra e ao vinho a copo.

O quiosque fica no renovado Terreiro do Paço, ponto de excelência da baixa Pombalina. 









25.11.13

Ginginha do Carmo

Com os termómetros a descer fomos conhecer a Ginginha do Carmo. Em breve na Cafeteria.


18.11.13

BEN & JERRY´S - San Francisco

Na esquina das Ruas Haight e Ashbury, encontra-se a "Ben & Jerry´s" famosa Ice Cream Shop Americana. 

Em pleno bairro onde nasceu o movimento hippie, nos anos sessenta, a decoração não podia ser mais divertida e inspiradora.


















5.11.13

Les Garçons

Cruzamo-nos com eles vezes sem conta. Fazem parte do nosso dia-a-dia agitado e nem nos apercebemos que percorrem quilómetros para nos trazerem um café.

Ofício nobre, a generalização do uniforme ocorreu em França durante o século XIX, sendo composto por jaqueta e avental pretos. 

Ouvintes e confidentes, são provavelmente dos que melhor conhecem a natureza humana.



Garçons Parisienses, 1925.

28.10.13

Pekaria 100 maneiras

PEKARIA, padaria em sérvio, veio juntar-se aos conhecidos restaurantes 100 maneiras, do chefe Ljubomir Stanisic.

Segundo Ljubomir o trocadilho do nome deve-se ao facto de aquele se considerar "um sem maneiras".

Na padaria PEKARIA podemos encontrar  sofisticados produtos que vão desde sandes com sementes de papoila a pão preto feito com tinta de choco. 

Encomendar ao balcão e trazer para a rua, as sugestões do chefe  não têem o céu como limite.

PEKARIA, Largo da Trindade n.º 9, Lisboa.















25.10.13

PEKARIA, a entrevista

Cafeteria Portuguesa foi conhecer a Padaria PEKARIA do chefe Ljubomir Stanisic.

Antes da habitual visita, partilho a entrevista do chefe de cozinha ao Jornalista da Antena 1, Ricardo Alexandre.

Em poucos minutos ficamos a saber o que levou Ljubomir a apaixonar-se pelo nosso país  e como considera as "amêijoas à bolhão pato" um prato único e inigualável a qualquer outro do mundo.

(Vídeo editado pela Cafeteria Portuguesa)





23.10.13

19.10.13

Dois clássicos

Pulp Fiction e The Great American Disaster




Pulp Fiction e uma das cenas mais carismáticas protagonizada pelo binómio John Travolta e Uma Thurman. A música é de Chuck Berry, “You never can tell”.

The Great American Disaster, o mais Americano dos restaurantes Lisboetas. O ambiente do rock and roll, os hambúrgeres e milkshakes, fazem as delícias dos fãs do Tio Sam.

(Vídeo da autoria de Cafeteria Portuguesa)

16.10.13

Café du monde

Café Terrace at Night, Vincent van Gogh, Arles, 1888.

O pintor holandês teve como fonte de inspiração o café da cidade francesa, Arles, localizado na Place du Forum.

Após o estrondoso sucesso mundial daquela tela, o café mudou de nome para “Café Van Gogh” e impôs-se como um dos locais de culto dos fãs do pintor.

A pintura faz parte da colecção do Museu Kröller-Müller, sito em Otterlo, Holanda.



14.10.13

PAPABUBBLE

Depois de Barcelona, Amesterdão, Nova Yorque e Tóquio, chegaram à capital Portuguesa os rebuçados artesanais da "Papabubble".

Rebuçados provenientes dos países do Norte da Europa, aos poucos, foram-se disseminando pelo espaço europeu e, com ajuda dos navegadores portugueses, foram introduzidos no Brasil, Cabo Verde e Japão.

Curiosamente, segundo os relatos que chegaram à loja de Lisboa, ainda, há algumas "mães" caboverdianas a fazer aqueles rebuçados para os seus filhos.

O conceito "Papabubble" junta a fábrica e a loja no mesmo espaço, permitindo que os seus clientes observem o processo de fabrico dos rebuçados aos mesmo tempo que saboreiam uma guloseima gentilmente oferecida.










6.10.13

Padaria São Roque

Na esquina da Rua Dom Pedro V com a Rua da Rosa, ao Príncipe Real, situa-se a "Padaria São Roque" num edifício de inspiração Arte Nova.

Colunas em mármore, capitéis dourados e tectos trabalhados levou a que alguns estudiosos colocassem a hipótese de este local ter sido uma capela.

Os motivos presentes nos azulejos, espigas, ovos, galinhas, ao invés dos habituais temas religiosos, fez com que outros discordassem e considerassem que aquele espaço dificilmente teria servido os ofícios do culto.

Com um horário alargado até às 18H00, a padaria de Lisboa disponibiliza pão quente, mesmo antes de se chegar a casa.  










1.10.13

Cafés do Poeta - Martinho da Arcada

Conhecido como o café mais antigo de Lisboa, o café "Martinho da Arcada" foi inaugurado em 1782, em pleno Terreiro do Paço.

Abriu portas como "Casa da Neve", uma vez que, o seu proprietário à data (Martinho Bartolomeu Rodrigues) era contratador oficial do gelo da cidade de Lisboa. 

Depois de vários denominações, o "Café Martinho" só em 1945 passou a chamar-se "Café Martinho da Arcada", para que não se confundisse com, o recentemente inaugurado, "Café Martinho" do Largo Camões. 

Cliente habitual de cafés, Pessoa utilizava o "Martinho da Arcada" como se de um escritório se tratasse.

Todos os dias, por volta das sete da noite, o poeta rumava àquele espaço e sentava-se religiosamente na mesma mesa de mármore. De seguida, espalhava uma série de papéis que trazia arrumados numa pasta e permanecia horas a fio a  escrever.

A mesa de mármore mantém-se no mesmo local do café, bem como o chapéu que o poeta tirava antes de se sentar e guardar no bengaleiro. 
Fernando Pessoa, imortalizou o "Café Martinho da Arcada" nesta estrofe dedicada ao poeta do orpheu, Mário de Sá Carneiro.


"É como se esperasse eternamente.
  A tua vinda certa e combinada
  Aí em baixo, no Café Arcada -
  Quase no extremo desse continente."

          Sá Carneiro - Fernando Pessoa